15 de dezembro de 2009

Meu orgulho.

Se um dia perguntarem pelo meu orgulho, vou responder sem duvidar que o motivo raro, puro e em carne para me orgulhar, está prestes a me levar pro altar. Vou com ele sem hesitar. Num instante o concebi e como quem não pensa (em outra coisa) disse, arrancando de mim, as palavras para quem são - Acho que te amo. Ele - Num sorriso limpo, arriscou - Por quê?. Então,  rápida e com certeza, só respondi: Por causa de você. O sorriso voltou e seu beijo não saiu de mim. A sensação não tem fim, não sou néscia, o conheço tão bem em pouco espaço e quero ele pra sempre- Assim. Não tem o peso das paixões antigas e nem a leviandade que o tempo trazia, ele cresce, continua e permanece.

2 comentários:

andrefelipez disse...

Isso tem vários nomes. "Dádiva" é um deles.

Passarelli disse...

Minha Quel, Te amo muito!