27 de setembro de 2009

Pérolas do Terceiro Ano

Acho que o terceiro ano do ensino médio é a fase que a maioria das pessoas sente uma espécie de contradição de sentimentos, um deles é a vontade de sair logo da escola, para uma fase de descobrimentos e de perspectiva de uma vida totalmente diferente e o outro é o de nostalgia, apego e saudades de algo que fez parte da vida durante muitos anos e irá acabar. Foi assim comigo, só que a segunda sensação bateu mais forte. Não pelas pessoas que conviveram comigo, porque essas eu tenho certeza que vou manter contato pro resto da vida, mas pela nossa convivência diária, confidências, sambas no meio da aula, risadas, esconde-esconde pela escola, besteiras e aprendizados... Foi o ano que aproveitamos o máximo daquilo que já estava por um fio: a nossa infância. A minha sala tinha apenas 16 pessoas, então não tinha gente nem espaço suficiente para divisão, era todo mundo muito unido e isso contribuia muito para toda algazarra que fazíamos. Estou nessa nostalgia toda por que hoje achei um documento preciosíssimo que o Fernando (Perna) fez durante o nosso ano, ele anotava em um caderninho todas as conversas, situações e frases engraçadas que aconteceram durante as nossas aulas. Vou copiar algumas delas aqui, gostaria de colocar todas mas são 16 páginas de word(!!!):


Obs.: Os comentários são todos do autor.

Obs2.: Algumas coisas só fazem sentido para quem as vivenciou.

“Na Aula de inglês: O ‘but’ exerce ligação na frase.
Na aula de religião: O que nos liga à Deus?
Massa: O BUT!”

“Professor Wilson:
No começo da aula: Faça a sua parte para o Brasil melhorar, se um cara jogar um papel de sorvete no chão, vai lá e pega...
No final da aula: O que nós podemos fazer para melhorar o Brasil?
Giga: Pegar o papel de sorvete do chão!”

“Professora Marize: O que você quer exercer no futuro, o que quer fazer?
Fernando: Atuar!
Pedro: O quê? Tabuada?!
Clara: Tocar
Pedro: Então você é uma toqueira! (cuma?)
Marize: Agora me diga uma coisa que você não quer nunca aprender e não gosta.
Pedro: Ser viado!”

“Pedro queima a prova de física no meio da aula! (normal!) Depois fala: Meu, coloca música, é melhor pra ficar queimando as coisas.”

“Professora Marize: Agora me digam: Como vocês vão estar daqui a 7 anos?
Se liga nas respostas inteligentes da nossa classe prodígio:
Paiva: Vou estar com 25...- NÃO! Sério?
Pedro: Eu vou viajar com meu cabrito velho!
Caio: Eu vou tentar não ser pobre!”

“Professor Péricles chega de avental.
Raquel: Você tá parecendo um pasteleiro!
Lobão: Vê dois quilos de alcatra!”

“Henrique: A palavra ‘imperialismo’ me lembra os elefantes em guerras medievais”

“Professora Marize passando sermão: Quem vai pagar o preço sou eu!
Pedro: Não importa: Todos vão morrer!”

“Pedro: Todo cachorro que tem uma bola só, pode perceber, já guardou rancor!
Pedro: Minha mãe mandou eu fazer o pré de novo, porque eu sou muito inteligente!”

“Caio para o Professor de química: Profº Alex, eu gosto de você e não gosto da matéria!
Bárbara: Eu gosto da matéria!”

”Raquel da um grito do nada: TCHUKI! TCHUKI É CARINHO- Êta cachaça!”

“Lobão para professora Beth: Responda sinceramente, você já soltou uma bufa na sala de aula??? Isso é pergunta?”

“Pedro:... tem que ter jogo de cintura pra dar aula no 3º!
Professor Sandro: Jogo de cintura? Tem que ser dançarino pra dar aula pra vocês!!!”

“Raquel e Bárbara conversando.
Prof Sarah: Pra fora as duas!
Raquel: Não professora, a Bárbara não tem culpa!
Prof Sarah: Então sai só você!
Raquel: Mas eu também não tenho culpa!
(A Raquel sai. Depois de uns 2 minutos ela abre uma fresta da porta coloca a cabeça pra dentro e fala com mó cara de cachorro abandonado)
Raquel: Posso voltar agora??
Prof Sarah: Não!- Huahuahauhauha!!!

“A sala conversando.
Professora Beth: Eu vou falar o que eu falo para as crianças: você copiar prestando atenção já é meio caminho andado...
(Giga continua conversando)
Eu acho que você não me entendeu, copiar conversando não adianta nada
Giga: Mas eu tô conversando sem copiar, aí tá certo!”

“Professora Débora com a folha de ocorrência na página do Pedro:
Débora: Devia ter a opção: atraso mental, não tem, que pena!”

“Pedro no primeiro dia de aula: Paivão você tá viva?! Achei que você ia morrer!
Paivão: Porque?
Pedro: Por que sempre alguém morre, né?!”

“Subes: Profª, ontei eu fritei o ovo em cima do bife. O bife ficou com gosto de ovo e o ovo ficou com o gosto de bife”

“Professor Wilson: Na frase: ‘A Layara chora’, Layara é um sujeito simples ou composto?
Pedro: Composto! Porque ela tem o Henrique!”

“Professor Sandro: O gás é leve?
Giga: Depende do que você comeu!
Rodrigo: Se for uma feijoada, aí é pesado, hein?!”

“Giga: Psora Patrícia, porque eu tô arrotando ovo frito se hoje eu não comi nada de ovo?”

“David: Então pra viagem, já está tudo engatilhado.
Raquel viajando já: Precisa levar forninho elétrico?”

“Giga: Eu não fiz palhaçada, só soltei o sutiã da Bárbara (Só!Huahuahuahua)
Professora Sarah: Mas é uma sensação horrível!
Bárbara: É tudo caído!
Giga: O meu cai e eu não uso sutiã!”

4 comentários:

Clara disse...

hauahauhauahauah!!!!Muito bom!

Mas o melhor na minha opinião foi o Pedro para o professor Davi: "Posso mijar na Camila Gandara?"

Caio disse...

Hahahahahahahaha!!!
Que saudades dessas palhaçadas!!!!!!!!!!!
O engraçado é pensar que dpeois de tanto tempo, eu aposto que todo mundo continua retardado do jeito que era!
Kkkkkkkkkk!!!!

Raquel Costa disse...

O melhor é que continua Caio!

Anônimo disse...

Amo vcs todos! Espero que continuem amigos para sempres.
Bjs.