15 de agosto de 2009

Viva o Chopp com Escama! Viva o samba! Viva o Rio de Janeiro , que continua lindo...

Tenho uma amiga que sempre têm histórias boas pra contar ,quando estamos juntas eu peço à ela para narrar alguma coisa bonita ou engraçada da vida dela ou dos outros.
Esses dias ela me contou em detalhes duma paixão à primeira dança que ela teve.

Era um dia frio e ela não queria sair de casa, mas por obra do acaso e talvez destino (porquê não?) , mesmo sem querer a moça foi com duas amigas para um barzinho bem simples na beira de um rio. Após tomar algumas, o desânimo sumiu e ela desandou a dançar , fez bonito , até que uma hora chegou um rapaz com pinta de malandro , camiseta branca ,calça jeans a tomou nos braços e eles dançaram, como se fossem uma pessoa só cantaram em alto e bom som "O Rio de Janeiro continua lindo...O Rio de Janeiro continua sendo.." , a cada olhadela davam risadas espontaneamente bonitas e a moça por um momento esqueceu que não conhecia aquele homem que já parecia seu há muito tempo, esqueceu que não sabia o seu nome e esqueceu de tudo em volta também. Ela olhou para ele com olhos de dona e o beijou , eles se beijaram e rodaram , não perderam o ritmo nem a postura . Após a dança , ele a olhou e disse "Prazer João" e ela ainda envolvida na fantasia só respondeu "Bia" , estendeu a mão , deu um sorriso e o puxou para dançar de novo e foi assim a noite inteira , os dois sendo um na pista .

Depois que ela me contou isso eu lembrei daquela poesia de Drummond "Eterno é tudo aquilo que vive uma fração de segundo mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força o resgata" .

Inspirada nesse momento alheio e na frase fiz um textinho de guardanapo vagabundo e tomei coragem de publicá-lo aqui :

o homem chegou
cabelo desfeito
corpo aberto no peito
rodou minha cabeça
me levou no salão
o safado me virou de contramão
com passo descompassado
e nem tava engomado
eu dançava
ele me reparava
rapaz ria sem saber
e eu olhava sem doer
lascou um beijo de paz
tirou meu freio
fiquei em devaneio
eu quero eternizar
dançar sem parar
no compasso da paixão
um amor de perdição.

Um comentário:

layara.vieira disse...

[i]
Amores de uma nota só

Amores da boêmia,
Amores que veem e vão...
Amores de uma nota só,
Não precisam de perdão.
Quem vive e vive direito,
Sempre tem uma paixão...
E daqueles sem esses amores,
Coitados...
Só lhes restão a razão!

Yayá
[/i]