23 de outubro de 2009

DDA, SEM H

Nunca cometo o mesmo erro duas vezes, já cometo duas, três, quatro, cinco, seis, até esse erro aprender que só o erro tem vez
Paulo Leminski


DDA ou DDAH, no meu caso é o DDA sem H, constatado por alguns testes, e sem H pelo fato de que consigo me sentar e ficar horas lendo um livro em absoluto silêncio ou ter uma conversa sem atropelamentos. Mas chega de falar em siglas, o DDA significa Déficit de Atenção e o DDAH, Déficit de Atenção com Hiperatividade. O Déficit de Atenção ou é genético, ou ocorre por problemas no parto ou é resultado de alguma situação traumática, no meu caso é genético.

Ontem, contei para uma colega de trabalho algumas situações que já passei por conta dessa falha na atenção e isso nos rendeu um almoço um tanto engraçado. Vou compartilhar com vocês também o que essa deficiência pode provocar:

Lembro que na minha infância, os agasalhos não duravam mais de um mês no armário, para loucura da minha mãe, os esquecia na escola, no parque ou em qualquer outro lugar que fosse. Todo fim de ano, tinha “uma exposição” de todos os utensílios do armário dos “achados e perdidos”, e ficava difícil carregar pra casa tantas coisas acumuladas durante o ano. Agora não são mais agasalhos, mas para minha infelicidade, são bolsas, comandas, carro no estacionamento, documentos, cadernos...

As situações mais embaraçosas aconteceram com desconhecidos, como por exemplo, quando comprei algo e, para o desespero dos vendedores, esqueci de pagar na hora, mas pior que isso, foi às vezes em que paguei e me esqueci de pegar o que comprei! Pode acreditar.

Já ocorreu, algumas vezes, de chamar a galera pra um churrasco e de no dia...Todos ficarem para fora esperando a anfitriã! Esquecida e distraída, claro. Ou então, de marcar vários programas no mesmo horário e comparecer a outro que não estava na agenda! Ainda bem que as pessoas que convivem comigo são super compreensivas e sempre levam na esportiva – Porra Raquel, se não fosse você e se eu não te conhecesse, já mandava à merda...

Mas a pior de todas foi essa: uma vez, no intervalo da faculdade, comprei um café expresso e me sentei para conversar com uns amigos, papo vai, papo vem, café esfria, eu converso, gesticulo e por fim, o café esparrama-se por toda a minha cabeça! Que coisa ri-dí-cu-la, esqueci que estava segurando um café e o virei em mim!

Essa deficiência já me rendeu algumas situações engraçadas e outras constrangedoras, confesso. Mas agradeço aos médicos por darem uma nomenclatura a algo que poderia ser considerado pura idiotice, valeu!

8 comentários:

Caio Prado disse...

Nossa mew... ficou muuuito comédia!!!!! Mijei de rir!

Essa do café foi a pior mano! Kkkkkkkkkkkkk!!!
Como pode????????? Eu sabia que vc tinha algum problema!!!!! E que não era normal essas suas palhaçadas!
QUe nem qdo vc pega p/ esquecer o nome das pessoas. (pastor Élder... o nome do cara era Elton! O prof. Edson... o nome do cara era Jefferson! Cleiton, o nome do cara era
Cleber!)
kkkkkkkkkkkkkkk!!!

Daniel disse...

Esse diagnóstico era tudo que você queria ouvir né raquel??? Pelo menos tem desculpa pra suas loucuras... hehehehe

Raquel Costa disse...

Nossa Caio! Esqueci de falar essa dos nomes!!rsrs

ééé daniel,se você não pode vence-las, junte-se a elas!"Arranjei um jeitinho" de me juntar a elas..rsrs Ufa!

Layara! disse...

Já fui vítima desse teu problema.. vc me faz uma pessoa melhor, cultivar a paciência é um ato mongístico...

Aline disse...

A amizade nos deixa parecidos...Olha isso: Já esqueci que fui ao mercado de bicicleta, e somente muitas horas depois, quando fui dormir lembrei da bicicleta...Voltei lá, mas era tarde, no outro dia, quando fui ver se ainda estava lá, o pessoal do mercado havia guardado pq sabiam que era minha, não entendi pq...rsrs...

E quando me levanto, isso eu faço muito, levanto, vou ate a cozinha, abro a geladeira e nao lembro o que ia fazer..Fico minutos parada, como se a geladeira fosse tv e nao lembro pq estou ali....rs

uma vez fui a uma festa com uma amiga, depois ela veio dormir em casa. Antes passamos no mercado, compramos umas besteiras eu fui guardar na geladeira....menina, ce nao sabe esses brincos desapareceram... fiquei na febre da jaguatirica. Ela dizia: meus brincos eu so usei uma vez, ganhei nao sei de quem. Me deixou mais nervosa ainda..Meu, perdi, perdi
fiquei uma hora procurando
dai resolvi que ja era, ia dar outro e ponto final...Ah, então vamos comer alguma coisa...Onde estavam os brincos? Na geladeira!!!

O cúmulo foi uma vez que procurei meus oculos, por muito tempo, ate quase chorar, pq sou muito míope e não vejo absolutamente nada de longe. Por fim, onde estavam os benditos óculos? No meu rosto!!!

Certa vez, fui jantar na casa de uns amigos, me arrumei, fiz escova, maquiagem, peguei a sobremesa, entrei no carro e liguei
fui engatar a ré, senti algo estranho, pensei nossa, não estou bem, nao to bem, melhor não ir, minha vista está embassada, nao to enchergando direito, ai que estranho...Preocupada, desliguei o carro e já avisar que não ia pq estava com algum problema. Daí lembrei que tinha esquecido de colocar as lentes de contato...kkkkk

Adorei saber que tudo isso acontece comigo pq posso ter DDA, não pq sou desligada como cresci ouvindo minha família e amigos dizendo....rsrs...Beeemmmm melhor, mais chique!!!

lkishi disse...

Prá mim já aconteceu de ligar prá alguém e, enquanto espero atender, esqueço prá quem liguei.
Já aconteceu também (várias vezes), sai de onde ostou para pegar alguma coisa no armário e esquecer o que fui pegar.
Acho que sei de quem a Raquel puxou............................
da mãe...rsrs

Clara disse...

Eu já presenciei vários desses momentos constrangedores e já tenho até uma frase clássica para essas situações: "Você tá bem, Raquel?"

Raquel disse...

Clara! Eu A-DO-RO essa frase!Marca registrada, carimbada e ferrada da nossa amizade!hahahaha