1 de outubro de 2009

Tia Sil

Ontem minha mãe me acordou cedo e falou algo que custou para eu processar: a tia Sil morreu.
Doeu fundo essa notícia, pensei que o mundo perdeu uma pessoa maravilhosa.
Sem falar muito, arrumamos nossas coisas e fomos direto para a praia, onde seria o velório e o enterro.  Quando chegamos lá, ví um monte de rostos conhecidos e queridos, não tive vontade de cumprimentar ninguém, fui direto aos filhos e os abracei com compaixão, sofri junto a dor deles, porque a Tia Sil era como uma mãe para mim .
 Passei muitas férias da minha vida na casa dela, comi seus bolos maravilhosos, dei muitas risadas com ela, fui cuidada por ela, apresentei os namorados que já tive, ouvi histórias e contei algumas também... No velório, o Márcio disse que generosidade era a palavra certa para a tia, e todos que estavam ali presentes, eram muitos, concordaram.
 Nunca ví mulher tão generosa como ela, a criançada do bairro vivia na casa da tia, ela brincava, conversava e dava bolo,aliás, nunca vi aquela casa vazia. Para ajudar os moços que trabalhavam nas obras, ela pegava as roupas deles e as lavava. Os meninos viviam dizendo com um sorriso largo "a tia cuida da gente". No começo desse post eu disse que o mundo perdeu uma pessoa maravilhosa, porque a tia Sil era uma raridade, hoje as pessoas estão mais preocupadas em ganhar do que doar, ao contrário disso, ela foi uma pessoa que se doou a vida inteira e que "amou ao próximo como a sí mesma".
 Têm uma parabóla do bom samaritano, que diz que certo homem foi roubado e agredido por ladrões, ele ficou semi-morto, perto dele passou um grande lider religioso e este, vendo-o caído no chão, passou ao largo. Logo depois, passou um Levita, aquele que cuidava de todas as atividades no templo, vendo o homem debilitado, também se afastou. Certo samaritano que passava, compadeceu-se dele, tratou-lhe as feridas, levou-o para um hospedaria e deu um dinheiro ao hospedeiro para cuidar do homem que nem conhecia. A tia Sil foi uma boa samaritana, não importava quem, ela estava sempre disposta a ajudar.
 Dizem que reconhece-se as pessoas boas pelos bons tratos que elas têm com os animais e as crianças, pois estes não têm nada a nos oferecer e são inofensivos. A tia era uma pessoa apaixonada pelos bichinhos e pelas crianças, ela cuidava destes com todo carinho e amor.
 Ontem nós choramos e lamentamos, mas no céu teve uma grande festa com bolo e muitos ursinhos de pelúcia (que ela amava) para receber a menina Sil, de vestido e fita, pra brincar com toda a criançada de lá e contar as  histórias bonitas, que não foram poucas, que viveu nessa terra.

3 comentários:

Aline disse...

Você que sempre me pediu para comentar seu blog deve estar surpresa, pq sempre te disse que faria e nunca o fiz. Pois é, ao ler o que você escreveu sobre a Tia Sil emocionei-me, sofri, sentir dor e alegria, enfim, todos os sentimentos vieram a flor da pele. Saudade, palavra que a gente só entende o significado quando perde alguém querido como ela, é isso que sinto nesse momento, ao lembrar-me de tudo que você aqui conseguiu traduzir. Guardo em minha lembrança seu sorriso e sua alegria e vontade de viver. Só por essa lição de vida, valeu ter conhecido a Tia Sil. E que possamos aprender a ser generosos como ela foi.

Anônimo disse...

Raquel, você traduziu muito bem quem foi a tia Sil. Estamos tristes mas ela está feliz ao lado daquEle que cuidará dela por toda eternidade.

Anônimo disse...

Esse anônimo aí em cima é o Lauro. Ainda estou apanhando disso aqui.